Assim como o cinema substituiu (ou melhor, reduziu) o publico do teatro, a chegada da TV reduziu o público do cinema e, agora, a internet, aos poucos, está tomando o lugar da TV. Não que teatro, cinema e TV tenham sido substituídos, pois todos esses estão aí e são ótimos elementos de lazer e cultura. O que aconteceu com eles é o que está acontecendo com a TV. A concentração de pessoas na frente de um PC na internet aumentou, e muito, nesses últimos anos.

Podemos dizer também que a internet só tornou-se tão popular porque ela própria cresce de acordo com a cooperação e voluntariado das pessoas, através da difusão e criação de volume de informações. Hoje, é até difícil imaginar se há alguma informação que não esteja na internet. A frase que antes era “será que encontro isto na internet?” mudou para “onde encontro isto na internet?”. A grande rede tornou-se ferramenta de pesquisa, entretenimento, comunicação e lazer.

Ela tem se tornando tão essencial que diversos dispositivos já estão sendo feitos para que tenham a opção ao seu acesso. Como, por exemplo, a TV e o videogame. No futuro, os aparelhos cada vez mais controlarão ações do cotidiano. Ou seja, do seu trabalho, você poderá verificar se a geladeira da sua casa está ou não com algum determinado produto. Até mesmo, ela (sim, a geladeira) poderá sugerir receitas com os produtos que estão em seu interior. Informações como consumo, umidade, temperatura de cada ambiente da casa poderão ser geradas como relatórios que podem ser enviados no seu e-mail diariamente. Há projetos para a “casa do futuro” em que ao entrar no banheiro e subir na balança, automaticamente será gerada uma série de resultados de como está sua saúde, podendo chegar ao ponto de solicitar uma ambulância caso sua saúde não esteja bem.

O homem já utiliza as tecnologias há anos para satisfazer suas necessidades, como, por exemplo, a invenção da roda, da lâmpada, da escrita, da internet, etc. Toda tecnologia visa otimizar as ações do homem e hoje, com a tecnologia dos bits, à medida em que há necessidade de mudança, a informática também muda.

E é aliada à necessidade pelo deslocamento e informação em tempo real, que o sistema mobile está sendo aceito no mercado mundial. Seja por estar parado em um trânsito, na espera de uma reunião, ou até mesmo para fazer uma pesquisa em um local que não tenha acesso à internet através de um PC, o sistema mobile entra com a necessidade de se consultar informações. Um corretor de imóveis, por exemplo, pode, ao mostrar uma casa ao cliente, acessar através do seu celular mais informações ao cliente e repassá-las naquele momento, de forma a otimizar a sua venda. Ele já pode consultar se o cliente pode fazer determinados financiamentos, documentação necessária, documentação do imóvel, tudo através do acesso à internet no celular.

Para muitas pessoas no futuro, o único acesso será através desse aparelho. Hoje é necessário que a internet esteja disponível para telas pequenas, como a do celular e, por isso, muitas empresas já estão preparando-se para tal.

Aliado à necessidade atual pelo acesso da internet no celular, o Google procura tornar a experiência do indivíduo, entre o software no sistema mobile e a empresa, mais valiosa através da informação indexada geograficamente. No celular, dependendo de sua necessidade atual, você pode escrever o local onde você está e o que procura, o Google lhe retorna um local mais próximo que você poderá encontrar determinado produto. Ao clicar no link para o telefone da empresa, você entra em contato e já faz o seu pedido. Assim, através da indexação geográfica, o Google caminha para essa associação, entre a necessidade do indivíduo e sua satisfação, ou seja, a informação no tempo certo e no local certo.

Até a próxima!
Bruna Milagres

About the author

Bruna Milagres

Faça o seu comentário